Pato B - Jornal Online

Conteúdo

Enquete

PDF Print


Projeto orienta a confecção de máscaras caseiras descartáveis de baixo custo

images/stories/obrata.jpg

Mais uma iniciativa de extensão coordenada pelos professores Ana Cristina A. Silveira Lima, do Departamento Acadêmico de Engenharia Elétrica (DAELE) e o professor Fabio de Freitas Lima, do Departamento Acadêmico de Engenharia Mecânica (DAMEC), da UTFPR, Câmpus Pato Branco, em conjunto com estudantes extensionistas, elaboraram um guia a fim de orientar as pessoas a confeccionarem suas próprias máscaras faciais. O material faz parte do Projeto de Extensão: "Máscaras Caseiras Descartáveis para a Prevenção da Covid-19".

O projeto orienta a confecção de Máscaras Caseiras Descartáveis de baixo custo para o enfrentamento da Covid-19, uma vez que o uso de máscaras por toda a população, independente da presença ou não de sintomas, é agora obrigatório em muitas cidades brasileiras, sob a égide da Lei 20.189/2020, sancionada em 28 de abril de 2020, a qual obriga o uso de máscara facial de proteção, tanto em ambientes coletivos públicos, quanto em ambientes privados em todo território paranaense, enquanto perdurar a pandemia do coronavírus.

A ação se propôs a investigar, desenvolver e ensinar a fazer máscaras caseiras descartáveis, com base nos diversos tipos e modelos que estão sendo apresentados na internet, por especialistas de universidades, de forma a possuírem características de proteção adequada, que sejam simples e rápidas para serem feitas, de baixo custo e utilizem materiais fáceis de serem encontrados.

Apesar da eficiência das máscaras caseiras não ser cientificamente comprovada contra a Covid-19, pesquisas apontam que a sua utilização impede a disseminação de gotículas contaminadas do usuário no ambiente, reduzindo assim o número de casos de doenças respiratórias. Por isso, o Ministério da Saúde sugeriu que a população produza suas próprias máscaras caseiras reutilizáveis.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) orienta que as máscaras faciais de uso não profissional (máscaras caseiras reutilizáveis) não sejam utilizadas por pacientes contaminados e nem por pessoas que cuidam de pacientes infectados, casos em que o Ministério da Saúde recomenda o uso de máscaras profissionais descartáveis (máscaras cirúrgicas). Mas estas máscaras descartáveis, devido à demanda elevada, não são mais encontradas facilmente no mercado. Existe uma preocupação de como é possível evitar a proliferação do novo coronavírus nesta situação.

Sob este pretexto, os estudantes Alexander Cristian Ferreira, Ângelo Felipe Dal Magro, Leonardo Bazarin Verissimo, Karine Andressa Assmann e Matheus Ghettino, que integraram o grupo de extensão, dedicaram-se à pesquisa para identificar vantagens e desvantagens das máscaras caseiras reutilizáveis e descartáveis, apresentadas por pesquisadores de universidades brasileiras, tais como a USP, UFSC, UFMA, UFMG, UFRN, UFRJ e a UFU, as quais realizaram estudos e testes a fim de determinar as melhores maneiras de criação e os mais adequados materiais para fabricação de máscaras caseiras, para prevenir a transmissão coronavírus. A equipe executora também avaliou se os tutoriais disponíveis na internet apresentavam concordância com as orientações dos órgãos governamentais. A pesquisa teve seu derradeiro fim ao encontrar um tipo de máscara caseira descartável promissora.

O professor Fabio, vice-coordenador do projeto, comentou que as máscaras caseiras podem sim reduzir a probabilidade de transmissão da Covid-19, pois fornecem uma barreira física, entretanto, isso não eliminará o risco."Ninguém pode se considerar 100% protegido. A máscara previne, mas não impede que o vírus em suspensão no ar penetre no nariz e na boca do usuário. A máscara reduz a chance de uma pessoa infectada, ao falar, tossir ou espirrar, contaminar as pessoas nas proximidades. Quem usa protege a si mesmo e aos outros", pontuou.

Materiais

O guia explica como confeccionar as máscaras, e sugere quais materiais podem ser usados. Os materiais propostos são: um filtro de café tamanho 103 com microfuros (100% fibra celulósica); uma folha de pano reutilizável (composição: polipropileno e celulose); duas tiras de barbante (de 40 cm cada), sendo necessário para a confecção: caneta, régua, tesoura e agulha de tapeçaria.

A coordenadora do projeto, professora Ana Cristina, lembra a importância de agir em busca de respostas perante a situação de calamidade vigente. "É bom lembrar que a ausência de evidência não significa evidência de ausência. Mesmo que alguns estudos concluam que as máscaras caseiras apresentam uma proteção limitada, elas podem reduzir a transmissão da covid-19 e salvar vidas." A professora arguiu sobre a utilização correta da máscara para oferecer a maior proteção possível, devendo essa estar adequadamente ajustada ao rosto, minimizando os espaços entre a face e a máscara, aliada às outras medidas protetivas, como o isolamento social, etiqueta respiratória, higienização das mãos, além do descarte correto das máscaras. Ela explica que "as máscaras usadas pela população em geral que mantém o distanciamento social (distância de 2 metros, atualmente recomendada) não necessitam ser tão eficazes quanto às usadas pelos profissionais da saúde que estão em contato direto com os doentes".

Mais especificações

O preço unitário da máscara caseira descartável irá depender de onde forem adquiridos os materiais. Seu valor estimado é inferior a R$ 0,45.

Para fazer 58 máscaras será preciso: duas caixas de filtro de café tamanho 103 (100% celulose) com 30 unidades cada (2x R$ 4,00); um rolo de pano reutilizável com 58 folhas picotadas (composição: polipropileno e celulose) (1x R$ 12,00); e um rolo de barbante cru com 50 metros (1x R$ 4,00). O valor total aproximado é R$ 24,00.

A máscara caseira descartável pode ser usada tanto por pessoas saudáveis ou ainda assintomáticas, quanto por alguém que já esteja com a Covid-19. A estudante Karine Andressa Assmann, externou a facilidade de confecção e a confiabilidade para proteção em um tempo de utilização tranquilo de 3 horas, contudo, mostrou-se preocupada com a poluição ambiental, pois a máscara reutilizável tem uma vida útil mais longa, estimada de 3 a 6 meses.

O acadêmico Ângelo Felipe Dal Magro, comentou que a máscara caseira descartável é extremamente confortável e não apresenta fragilidades e não interfere na respiração ou encaixe junto ao rosto. "Realizei o teste do desodorante aerossol e do spray, e a máscara se mostrou eficaz, dificultando a passagem das gotículas. Creio que as máscaras caseiras descartáveis com filtro de café e pano multiuso são extremamente úteis, uma vez que são confortáveis, de fácil fabricação e com um grande poder de proteção".

O material sugerido pelo grupo é constituído de slides explicativos com o passo a passo para criação das máscaras caseiras e pode ser acessado AQUI.

 


 
Patob.com.br - Todos os direitos reservados