Pato B - Jornal Online

Conteúdo

Enquete

PDF Print


Criminal

A servidora, que deveria cumprir carga horária semanal de 22 horas, comparecia à Câmara apenas uma vez por semana, atendendo clientes particulares em horário de expediente, configurando o crime de peculato.

A partir de denúncia apresentada pelo Ministério Público do Paraná, a procuradora jurídica da Câmara Municipal de Nova Esperança do Sudoeste, município no sudoeste do estado, foi afastada judicialmente da função, sem vencimentos. A servidora foi denunciada por peculato pelo MPPR, por meio da Promotoria de Justiça de Salto do Lontra (sede da comarca).

Segundo apurou o Ministério Público, a procuradora, que deveria cumprir carga horária semanal de 22 horas, comparecia à Câmara apenas uma vez por semana, e atendia clientes particulares em horário de expediente, configurando o crime de peculato, pelo uso de bens públicos em benefício próprio.

Da assessoria

 


 
Patob.com.br - Todos os direitos reservados